Inscrições para as turmas da EBD 2019

No próximo domingo, 13 de Janeiro, se inicia o período letivo da nossa Escola Bíblica Dominical (EBD). Para se matricular em uma das turmas procure o Pb. Adinovam após os cultos ou preencha o formulário: https://goo.gl/ktBUw2

Nossa Escola conta com classe separada para crianças, adolescentes e novos convertidos com conteúdo adaptado para esses públicos. Os demais jovens e adultos são divididos em turmas e podem escolher o assunto que desejam estudar.

Aos surdos disponibilizamos um pequeno grupo de estudo com encontros quinzenais. Se desejar mais informações envie um e-mail para admscarlos@gmail.com ou procure o grupo Mãos Ungidas após os cultos de domingo.

Nesse primeiro quadrimestre será possível escolher entre os módulos:

  • Antigo Testamento
  • Novo Testamento
  • Livro de Salmos
  • Livro de Atos dos Apóstolos
  • Livro de Isaías

Se você é mais tradicional ou gosta de variar os assuntos por temas você pode se inscrever na turma que seguirá os temas das Revistas Betel, padrão em todas as congregações do nosso campo.

A inscrição não é um pré-requisito para participar da EBD, mas uma facilidade para incluir os alunos nos grupos de whatsapp e listas de e-mail por onde serão encaminhados os materiais, conteúdos complementares e um canal extra para esclarecer dúvidas sobre o conteúdo das aulas. No caso dos alunos que se matricularem na turma da Revista Betel, a inscrição é obrigatória para recebimento da revista.

Se tiver dúvidas, elogios ou sugestões para nossa EBD, deixe um comentário.

Fiquem na paz do Senhor.

Escola de Música – Cursos de 2019

Se você colocou nas resoluções de ano novo “aprender a tocar um instrumento” ou “aprender música” ou “tocar melhor”, nós podemos ajudar!

Nossa escola de música estará com as inscrições abertas em Janeiro e com um plantão de informações para tirar suas dúvidas após os cultos de terça, quinta e domingo para os cursos de:

  • cordas: violino, viola, cello e contra-baixo
  • base: violão, guitarra e baixo elétrico
  • piano popular e teclado
  • percussão e bateria
  • áudio e técnica de som

Se você não toca, mas quer ajudar aquele seu amigo a gravar o que ele toca ou ajudar a operar a mesa de som na sua congregação, eis a oportunidade que você não pode perder.

Se tiver outras dúvidas, deixa um comentário ou contate os diretores da escola:

Fabio Guedes Silva
(16) 98206-2616
fabioguedessilva@hotmail.com

Claudenice Silva Rocha
(16) 98195-8690
claudenice_rocha@hotmail.com

Maturidade

MATURIDADE

para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, – Efésios 4.14.15

A maturidade espiritual é alcançada quando nos tornamos mais como Jesus Cristo. Após a salvação, todo cristão inicia o processo de crescimento espiritual, com a intenção de se tornar espiritualmente maduro. De acordo com o apóstolo Paulo, é um processo contínuo que nunca terminará nesta vida. Em Filipenses 3:12-14,

Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”

Como Paulo, temos que persistir continuamente em direção a um conhecimento mais profundo de Deus em Cristo.

A maturidade cristã requer uma reordenação radical das prioridades, deixando de viver para se agradar e passando a viver para agradar e obedecer a Deus. A chave para a maturidade é a consistência, ou seja, a perseverança em fazer as coisas que sabemos nos aproximará de Deus. Essas práticas são conhecidas como disciplinas espirituais e incluem coisas como leitura/estudo da Bíblia, oração, comunhão, serviço e administração. No entanto, não importa o quanto trabalhemos nessas áreas, nada é possível sem a habilitação do Espírito Santo dentro de nós. Gálatas 5:16 nos diz que devemos “andar no Espírito”. A palavra grega usada aqui para “andar” realmente significa “caminhar com um propósito em vista”. Mais tarde, no mesmo capítulo, Paulo nos diz novamente que devemos “andar no Espírito”. Aqui, a palavra traduzida “andar” tem a ideia de levar as coisas “passo a passo, um passo de cada vez”. Trata-se de aprender a caminhar sob a instrução de outro — o Espírito Santo. Estar cheio do Espírito significa que caminhamos sob o Seu controle. Ao nos submetermos cada vez mais ao Seu controle, também veremos um aumento no fruto do Espírito em nossas vidas (Gálatas 5: 22-23). Isso é característico da maturidade espiritual.

Quando nos tornamos cristãos, recebemos tudo de que precisamos para a maturidade espiritual. Pedro nos diz:

Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude” – 2 Pedro 1: 3

Deus é o nosso único recurso, e todo o crescimento vem pela graça através dEle, mas somos responsáveis por fazer a escolha de obedecer.

Ser eficaz e frutífero no conhecimento do Senhor Jesus é a essência da maturidade espiritual.

Pr. Ismael da Silva

Dica de Leitura – A FÉ COMEÇA EM CASA

Não sabe nem pra qual lado começar a ensinar seu filho “no caminho que deve andar”? Não é tão simples quanto parece, mas também não tão difícil quanto imagina. Com o livro “A fé começa em casa” de Mark Holmen você aprenderá sobre a importância do caminhar com o Senhor, também como usar os dons e as experiências dos avós definindo o papel da igreja na família.

O Brasil laico

O Brasil é um país de grande maioria cristã. A nossa constituição reconhece isso quando afirma que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”. Essa expressão tem grande fundamento histórico, mas é preciso reconhecer que há uma explicação teológico-filosófica por trás dela.

Foram justamente os adoradores do Deus cristão que asseguraram as liberdades elencadas na constituição. Somente em uma sociedade influenciada por uma cosmovisão que acredita em um Deus pessoal, trino e distinto da natureza é possível vislumbrar os aspectos morais absolutos que regem essa sociedade, independente da relação direta com esse Deus.

Com exatidão, definiu o ilustríssimo jurista Dr. Ives Gandra Martins: “Estado laico é aquele em que as instituições religiosas e políticas estão separadas, mas não é um Estado em que só quem não tem religião tem o direito de se manifestar.

No Brasil, por outro lado, se reconhece o valor da religião para o indivíduo e para a própria fundação do Estado. Não é à toa que símbolos cristãos podem ser encontrados em repartições públicas, num reconhecimento de que o Estado brasileiro é devedor da religião cristã. Nada disso afeta a laicidade adotada pelo Brasil, pois a manifestação religiosa não é somente um direito do cidadão, como também é um aspecto da humanidade.

Isso pode ser atestado com o artigo 19 da Constituição. Esse artigo salvaguarda o direito ao culto, ainda que esclareça que o culto nunca deve ser estatal. De outra sorte, o Estado poderá, quando achar por bem, ter uma aliança de colaboração com os grupos religiosos para o interesse público. Isso significa que as igrejas podem ser ouvidas para ajudar o Estado a administrar determinadas áreas.

Essa “humildade” estatal é fundamental para a distinção entre Estado e Igreja. Isso porque o Estado não estaria se sobrepondo sobre as instituições eclesiásticas, as famílias, as relações comerciais, etc.

A recente discussão sobre a oração incluída no primeiro ato de pronunciamento do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro precisa levar em consideração a liberdade religiosa e de manifestação, mesmo de uma figura pública. A oração em nada afeta a laicidade do Estado; pelo contrário, a garante. Ao demonstrar que ele, o presidente eleito, está submisso a Deus e comprometido com a verdade da sua Palavra, Bolsonaro faz menção ao seu compromisso com a democracia, a justiça e o bem-estar do cidadão. Por meio da oração, o presidente eleito está definindo o Estado como uma das instituições da sociedade, mas não a mais importante.

Que Deus abençoe o Brasil e todos que queiram contribuir para uma nação mais justa.

Pr. Ismael da Silva

Entre para o Time – Biblioteca

Time Biblioteca

Função: Auxiliar os irmãos no empréstimo e devolução dos livros, manter o acervo em ordem e o espaço limpo, e colaborar nos projetos de divulgação e incentivo a leitura (quando houver).

Atuação: Antes e depois dos cultos de terça, domingo e EBD. Necessita chegar no mínimo 30 minutos antes da programação começar e fechar de 30 a 60 minutos depois da programação terminar.

Maior necessidade: Pessoas para revezar nas escalas

Requisitos:

  • Ser receptivo
  • Ser frequente
  • Ser educado

Habilidades despertadas ou fortalecidas: 

  • Estimula a memória
  • Amplia o conhecimento da literatura cristã e incentivo à leitura
  • Relacionamento interpessoal
  • Organização
  • Paciência
Não precisa ter experiência. 
Para todas as idades.
Liderança e contato: 
Ev. João Honorato / (16) 98253-9707
Pb. Adinovam Pimenta / (16) 98138-9820
Larissa Sousa / (11) 96840-4907
 
 

“Perdão”, palavra que liberta

A reconciliação não é algo a ser praticado somente entre nós e Deus, mas também para com nossos irmãos e próximos. Reconhecemos, que, à semelhança da cruz, também temos duas linhas do fluir da reconciliação: a vertical (o homem com Deus) e a horizontal (entre os homens).

O perdão (ou a falta dele) faz muita diferença na vida de alguém. A reconciliação horizontal determina se a vertical que recebemos de Deus vai permanecer em nossa vida ou não. A palavra de Deus é clara quanto ao fato de que se não perdoarmos a quem nos ofende, então Deus também não nos perdoará. Foi Jesus Cristo quem afirmou isto no ensino da oração do Pai-nosso:

“Porque se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas”. (Mateus 6.14,15).

Deus tem nos dado seu perdão gratuitamente, sem que o merecêssemos, e espera que usemos do mesmo espírito misericordioso para com quem nos ofende. Se fluímos com o Pai Celestial no mesmo espírito perdoador, permanecemos na reconciliação alcançada pelo Senhor Jesus.

Contudo, se nós negamos a perdoar, interrompemos o fluxo da graça de Deus em nossa vida, e nossa reconciliação vertical é comprometida pela ausência da horizontal. Quem não perdoa, está preso. Lemos em Mateus 18.34: “E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que pagasse toda a dívida”. A palavra verdugo significa “torturador”. Além de preso, aquele homem seria torturado como forma de punição. A prática do ministério nos revela que o que Jesus falou em figura nesta parábola é uma realidade espiritual na vida de quem não perdoa. Os demônios amarram a vida daqueles que retém o perdão. Suas torturas aplicadas são as mais diversas: angústia e depressão, enfermidades, debilidade física, etc.

Outro dia ouvi alguém dizendo que o ressentimento é o mesmo que você tomar diariamente um pouco de veneno, esperando que quem te magoou venha a morrer. A falta de perdão produz dano maior em quem está ferido do que naquele que feriu. Por isso sempre digo a quem precisa perdoar: – “Já não basta o primeiro sofrimento, porque acrescentar um outro maior (a mágoa) ”?

Sem perdão não há cura. A doença interior só se complica, e a saúde espiritual, emocional e física da pessoa ressentida é seriamente afetada. O perdão é um ato de misericórdia, de compaixão. Nada tem a ver com merecimento. O que seria de nós sem a misericórdia de Deus.

Quantas vezes Deus já nos perdoou? Quantas mais Ele vai nos perdoar? Se devemos perdoar como também Deus em Cristo nos perdoou, então fica claro que não há limite de vezes para perdoar!

O perdão não é um sentimento, é uma decisão e também uma atitude de fé. Já dissemos que o perdão não é por merecimento, logo, não tenho motivação alguma em minhas emoções a perdoar. Não me alegro por ter sido lesado, mas libero aquele que me lesou por uma decisão racional. Portanto, o perdão não flui espontaneamente, deve ser gerado no coração por levar em consideração aquilo que Deus fez por mim e sua ordem de perdoar. As consequências da falta de perdão também devem ser lembradas, para dar mais munição à razão do que à emoção. É preciso fé para perdoar. É necessário crer que Deus é justo e que Ele não nos pede mais do que aquilo que podemos dar. Se Deus nos pediu que perdoássemos, Ele vai nos socorrer dispensando sua graça no momento em que tivermos uma atitude de perdão. Aproveite faça uma leitura de sua vida quem você tem no coração que tem te feito sofrer, chorar, deixar de dormir, sem apetite rosto triste e amargurado saia desta prisão e perdoe.

Pastor Ismael da Silva

Entre Para o Time – Multimídia

Time Multimídia

Função: Projetar conteúdo audiovisual (playbacks, vídeos, letras de música, fotos, etc) durante os cultos.
Atua: em todos os cultos noturnos e escola bíblica
Maior necessidade: Pessoas para revezar nas escalas (com urgência)
Requisitos:
  • Disponibilidade para estar na igreja de 40 a 60 minutos antes dos cultos noturnos
  • Ser membro ativo da igreja sede ou de uma de nossas congregações
Habilidades despertadas ou fortalecidas: 
  • Comunicação em equipe;
  • Foco;
  • Paciência;
  • Trabalho em equipe;
  • Pró-atividade;
  • Conhecimentos em informática básica;
  • Assiduidade;
  • Responsabilidade
Não precisa ter experiência.
Liderança: Mayara Vaz / (16) 99390-6318

O remédio de Deus para a ansiedade

Qual de nós não se sente ansioso e com medo diante de uma enfermidade, do desemprego, de uma crise familiar, da violência que nos cerca, como também do momento tão difícil que passa a nossa nação principalmente em meio as eleições para Governador e Presidente.

Para o medo e ansiedade Deus providenciou recursos para nos ajudar nestes momentos, temos alguns caminhos a seguir para vencermos estes dois perigos:

Identificar a causa do problema. Você sabe bem as causas da sua ansiedade quando a sente?

Davi, certa vez, pediu que Deus vasculhasse o seu coração e fizesse aflorar os males que ali estavam (Sl 139.23-24).

Considerar a ajuda de um amigo verdadeiro. Depois de descobrirmos a causa de nossa ansiedade, devemos atacá-la. Esse apoio fraternal é de especial significado quando o problema é o tratamento do medo e da ansiedade. A Bíblia afirma que o “perfeito amor lança fora o medo”. Collins, afirma que o inimigo do medo é o amor. Especialmente, demonstrar o amor de Cristo é ajudar também aqueles que sofrem de ansiedade e medo.

Estar sempre alegre no senhor. Segundo Collins, alegrar-se, para os cristãos, é uma ordenança permanente do Senhor, pois Ele disse que jamais nos deixaria. Temos ainda a expectativa de sua volta e da vida com Ele num lugar especialmente feito para nós, Seus filhos. Baseados nessa promessa, podemos viver livres do medo. Precisamos conhecer a palavra do Senhor para que sejamos consolados e fortalecidos!

Confiar em deus em oração e súplicas. Jó orou muito durante a sua crise existencial. Foi crescendo tanto em confiança em Deus que, no final de suas provações, ele declara: “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem” ( Jó 42.5). Ana, por sua vez, foi embora contente após ter orado com tanta dedicação ao Senhor e ouvido as palavras do sacerdote Eli (1Sm 1.9-18).

O que determina a paz no barco não é a ausência da tempestade lá fora, mas a presença de Jesus do lado de dentro. Paz não é a ausência de problemas e aflições, mas é uma dependência completa do cuidado de nosso Pai Celeste.

Faz-nos bem refletir na estrofe de um cântico que diz: “Com Tua mão segura bem a minha, e pelo mundo alegre seguirei. Mesmo onde as sombras caem mais escuras, Teu rosto vendo, nada temerei”.

Pastor Ismael da Silva