O remédio de Deus para a ansiedade

Qual de nós não se sente ansioso e com medo diante de uma enfermidade, do desemprego, de uma crise familiar, da violência que nos cerca, como também do momento tão difícil que passa a nossa nação principalmente em meio as eleições para Governador e Presidente.

Para o medo e ansiedade Deus providenciou recursos para nos ajudar nestes momentos, temos alguns caminhos a seguir para vencermos estes dois perigos:

Identificar a causa do problema. Você sabe bem as causas da sua ansiedade quando a sente?

Davi, certa vez, pediu que Deus vasculhasse o seu coração e fizesse aflorar os males que ali estavam (Sl 139.23-24).

Considerar a ajuda de um amigo verdadeiro. Depois de descobrirmos a causa de nossa ansiedade, devemos atacá-la. Esse apoio fraternal é de especial significado quando o problema é o tratamento do medo e da ansiedade. A Bíblia afirma que o “perfeito amor lança fora o medo”. Collins, afirma que o inimigo do medo é o amor. Especialmente, demonstrar o amor de Cristo é ajudar também aqueles que sofrem de ansiedade e medo.

Estar sempre alegre no senhor. Segundo Collins, alegrar-se, para os cristãos, é uma ordenança permanente do Senhor, pois Ele disse que jamais nos deixaria. Temos ainda a expectativa de sua volta e da vida com Ele num lugar especialmente feito para nós, Seus filhos. Baseados nessa promessa, podemos viver livres do medo. Precisamos conhecer a palavra do Senhor para que sejamos consolados e fortalecidos!

Confiar em deus em oração e súplicas. Jó orou muito durante a sua crise existencial. Foi crescendo tanto em confiança em Deus que, no final de suas provações, ele declara: “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem” ( Jó 42.5). Ana, por sua vez, foi embora contente após ter orado com tanta dedicação ao Senhor e ouvido as palavras do sacerdote Eli (1Sm 1.9-18).

O que determina a paz no barco não é a ausência da tempestade lá fora, mas a presença de Jesus do lado de dentro. Paz não é a ausência de problemas e aflições, mas é uma dependência completa do cuidado de nosso Pai Celeste.

Faz-nos bem refletir na estrofe de um cântico que diz: “Com Tua mão segura bem a minha, e pelo mundo alegre seguirei. Mesmo onde as sombras caem mais escuras, Teu rosto vendo, nada temerei”.

Pastor Ismael da Silva

Votando com consciência

Hoje, nós, cidadãos cristãos, elegeremos – 1 Presidente da República e 27 governadores e seus respectivos vices – 513 deputados federais e 54 senadores, ao todo são 81 cadeiras no Senado somente parte e renovado a cada quatro anos, 94 deputados estaduais – para nos representar nos processos de tomada de decisão pública no próximo quadriênio (2019-2022), pelo menos. Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral, cerca de 25 mil pessoas estão concorrendo a esses cargos eletivos em todo o país 3 . Diante de tantas possibilidades, como escolher um candidato que realmente representa meus princípios, valores e interesses? O que observar nesses candidatos e em suas propostas? Seguem alguns conselhos, bíblica e cientificamente fundamentados, que te ajudarão nessa escolha. Vivemos em um país democrático, cuja Constituição Federal define que “todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente” (Brasil, 1988, artigo 1º, parágrafo único).

Além de participar politicamente, o Cristão vocacionado também deve se envolver e buscar influenciar a política. José governou o Egito e influenciou significativamente as decisões tomadas por Faraó, rei do Egito. Certa vez, José aconselhou o rei a ajuntar os mantimentos a serem obtidos nos sete anos de fatura que a terra do Egito vivenciaria (conforme sonho dado por Deus ao rei) e guardá-los para servir de suprimento nos sete anos de fome que se seguiriam aos anos de fatura. Além de seguir esse conselho, Faraó colocou José como governador do Egito e essa Nação não só teve mantimento para os sete anos de fome, como ainda abasteceu outros povos
carentes (Gn 41).

Embora tenhamos o poder político para decidir quem nos governará, nós, Cristãos, muitas vezes, não damos a necessária atenção e/ou não atribuímos a devida importância a nossa participação consciente e ativa nas eleições. Uma das razões para essa apatia e/ou descaso em relação à política e ao nosso papel de cidadãos está relacionada com nossa visão acerca da política. Há ainda um discurso recorrente na igreja Cristã que prega a incompatibilidade da fé com a política e, por conseguinte, o não envolvimento do Cristão com a política em qualquer de suas dimensões.

Nosso conselho para você Cristão vote em candidatos tementes a Deus e a sua Palavra responsabilidade de escolher sabiamente nossos representantes, os quais devem ser homens e mulheres de bom testemunho de vida, íntegros, tementes a Deus e justos. A bíblia nos alerta que a Nação administrada com justiça e no temor de Deus prospera, ao passo que o governo do ímpio produz sofrimento e injustiça.

Pastor Ismael da Silva

Curso de Introdução ao Aconselhamento Cristão

Objetivo do Curso

O curso tem por objetivo abordar a base do aconselhamento no reino de Deus, quem é o conselheiro, quem é o aconselhado e os limites que precisam estar claros nessa relação, também trás alguns estudos de casos e atividades práticas.

O aconselhamento cristão não é uma disciplina apenas para pastores e líderes, mas para todo cristão que compreendeu que após ou paralelo ao evangelismo existe uma chamada para o discipulado, isso é relacionamento, comunhão e intimidade, e Cristo tem muito a nos ensinar sobre essas coisas.

Ementa do Curso de Aconselhamento Cristão 2018

Prof.ª Thalyse Santana
Prof.ª Auxiliar: Michele Silva
Duração: 8 aulas
Inscrição: R$80 (encerrada)

AULA 1 – O que não é aconselhamento

  • Não é fazer promessas
  • Não é criar seguidores de si
  • Não é dar conselhos
  • Não é evangelismo
  • Não é ser por quem já é
  • A terceirização da vida e da espiritualidade

AULA 2 – Aconselhamento cristão e o Cristo do aconselhamento

  • A emergência e as contribuições da cosmovisão cristã
  • Cristo é Deus
  • Cristo veio
  • Cristo está
  • Cristo volta

AULA 3 – Aconselhamento cristão e o cristão

  • Eu sou _____?
  • Eu sou em Cristo

AULA 4 – Processo criativo no aconselhamento

  • Criador, criatura e cri[a]ção

AULA 5 – Cuidado e autocuidado

  • Coração cuidador
  • Fundamentos da arte de cuidar
  • Alguns jeitos de ajudar
  • Ajuda-te a ti mesmo

AULA 6 – Desafios contemporâneos do aconselhamento

  • O antigo conselho para o conselheiro de hoje
  • A atualidade da bíblia
  • A atualidade da dependência de Deus
  • A atualidade da orientação do Espírito Santo

Mais informações do curso pode deixar um comentário ou enviar um e-mail para admscarlos@gmail.com

Curso Preparatório de Obreiros

História e Objetivo do Curso

O objetivo do Curso Preparatório para Obreiros (CPO) é apresentar recursos práticos e integrar pessoas ao ministério para que estes cumpram o chamado bíblico, e sejam aprovados por Deus. (II Timóteo 2:15)

O CPO é oferecido anualmente, normalmente no mês de Outubro, para todos os que têm sido despertados a servir ao Senhor. Lembrando que quem de fato prepara o obreiro é o próprio Deus, o curso é apenas uma instrução de como ser cooperador do propósito divino para servi-lo com temor e amor.

Ementa do CPO 2018

Prof. Pb. Adinovam Pimenta
Duração: 7 aulas
Inscrição: R$60 (encerradas)

AULA 1 – Introdução

  • Objetivos do curso
  • Breve resumo histórico das Assembleias de Deus
  • O credo apostólico das Assembleias de Deus
  • Doutrinas x Costumes
  • Estrutura convencional

AULA 2 – Ministérios

Parte I

  • Definição de ministério e seus objetivos
  • Ministérios do Antigo Testamento
  • Ministério Real
  • Ministério Profético
  • Ministério Sacerdotal

Parte II

  • Ministérios do Novo Testamento
  • Outras classes de ministérios
  • Estrutura organizacional

AULA 3 – Diaconato

  • Histórico e Etimologia
  • Principais funções

AULA 4 – Presbitério

  • Histórico e Etimologia
  • Principais funções

AULA 5 – A chamada para o ministério e a separação de obreiros

  • A chamada Geral e Universal
  • A chamada Individual e Específica
  • Exemplos de chamadas
  • Como identificar a sua chamada ministerial?
  • Evidências de uma verdadeira chamada de Deus
  • A preparação do obreiro

AULA 6 – Disciplina na igreja

  • O que é disciplina na igreja?
  • Objetivos da disciplina
  • Tipos de disciplinas
  • Penas disciplinares aos membros
  • Reconhecimento de cargo para obreiros disciplinados

AULA 7 – Características de um bom obreiro

  • O obreiro e a sua vida espiritual
  • O obreiro e a sua família
  • O obreiro e a igreja
  • O obreiro e o púlpito
  • O obreiro e o mundo moderno
  • O obreiro e a ética ministerial

Mais informações do curso pode deixar um comentário ou enviar um e-mail para admscarlos@gmail.com