Decisões

Decisões são necessárias todos os dias. Algumas são simples como emprestar uma caneta a um colega do trabalho ou da escola. Outras são um pouco mais difíceis como escolher a roupa para sair, qual bicicleta ou carro comprar, para qual lugar viajar. Outras são ainda mais difíceis como a escolha do futuro cônjuge para namorar, qual faculdade cursar, qual carreira ideal para trabalhar.

Como você toma essas decisões hoje? Talvez você coloque na balança os prós e os contras e analise qual a opção mais vantajosa para você. Talvez você escolha aquela opção que rende mais dinheiro ou aquela que exige o menor esforço. Ou talvez você não escolha nenhuma delas com medo de errar e acaba deixando a vida escolher por você.

Bem, fato é que toda decisão traz consequências. Se a decisão for correta, a consequência será um grande presente, uma enorme satisfação; se for errada, a angústia e o sofrimento virão. Por isso, precisamos ser sábios para que possamos tomar decisões corretas.

Um sábio não é aquele que senta no topo da pilha de livros que já leu e começa a expor seu conhecimento para um público. Sábio é aquele que adquire conhecimento e aplica-o adequadamente para tomar decisões em sua vida.

Deus nos ensinou de onde vem a sabedoria:

“O temor do Senhor é o princípio da ciência; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução” – Pv 1:7

A palavra “ciência” no versículo anterior deve ser melhor compreendida por “sabedoria”. Para sermos sábios, precisamos temer ao Senhor, reconhecendo-o como soberano, conhecedor de todas as coisas.

Podemos confiar Nele, porque os Seus caminhos e Seus pensamentos são mais altos do que os nossos (Isaías 55:9). Deus tem uma visão ampla e completa de tudo, nós temos uma visão reduzida.

Portanto, todas as nossas decisões deve ser tomadas após uma boa conversa com Deus. Ele sabe tudo, por acaso há alguém melhor para responder as nossas dúvidas? Pergunte para Deus qual caminho você deve seguir. Para orar a Deus não há fila, não é necessário pegar uma senha, não é necessário fazer nenhum ritual, apenas fale com Ele. A escala de Deus é 24 por 7, não há intervalos, você pode falar com Ele agora.

O que você precisa decidir hoje? Já falou sobre isso com Deus? Seja lá o que você tenha que fazer, fale antes com Deus.

“Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua” – Pv 16:1

Pr. Ismael Silva

Os críticos e os fracos

Muitos se perdem no meio do caminho quando deixam de olhar para Jesus e começam a olhar para os defeitos das pessoas ao seu redor. Assim acontece com todos aqueles que se denominam cristãos sem igreja. Se decepcionaram com a instituição e pensam que se estiverem sozinhos na jornada poderão servir a Deus de uma melhor forma.

E isto não é verdade, porque estes também são cheios de defeitos, como todos somos. Igreja é lugar de gente doente em busca do Médico dos Médicos. É lugar de pecadores sendo regenerados. Em profunda transformação, mas ainda assim pecadores.

Estas pessoas, me incluo entre elas, não tem nada de bom a oferecer a não ser a graça de Deus operando em suas vidas. Seu louvor, sua pregação, tudo que vêm delas é imperfeito. Porém, Deus olha seus corações e vê qual é a sua real intenção.

Porém existe no meio da instituição e fora dela, aqueles que se especializaram naquilo que é errado. Sabem direitinho o que não se deve fazer. Criticam tudo que veem. Olham para aqueles que estão fazendo alguma coisa, porém tudo que conseguem ver são as imperfeições, os defeitos, as dificuldades.

Imagine uma cena comigo: Um pai pede a sua filha um copo de água. Aquela menina tem apenas 3 anos de idade. Ela vai até a cozinha, pega a água e traz para seu pai.

No meio do caminho tropeça e deixa quase toda a água cair. Quando chega para seu pai o copo de água tem menos da metade de água.

Com todas as suas imperfeições e limitações motoras, ela fez o melhor que pode.

Assim como quando faz um desenho para seu pai, e naqueles rabiscos o pai pode ver o amor de sua filha por ele.

Nós não passamos de crianças grandes diante de Deus. Toda a sua grandeza é inescrutável para nós, seus juízos são insondáveis. Quem pode sondar a mente do Senhor? Entretanto, diante daquilo que podemos compreender em nosso relacionamento com Ele, iniciamos uma longa jornada de obediência, porém com
muitos percalços, muitas quedas, e sempre sendo levantados por ele.

Porém, os críticos, aqueles que não estão dispostos a buscar o copo de água, e nunca tentaram sequer fazer isto, estão prontos a todo momento a criticar, a mostrar a água caída no chão, a mostrar os erros de caráter, as dificuldades que ainda não foram superadas, e talvez nunca serão (só seremos perfeitos quando nosso Senhor Jesus voltar), estão prontos a dizer que está tudo errado.

Estes estão na arquibancada reclamando do juiz, dos jogadores dizendo exatamente o que deve ser feito, porém se colocados no jogo, não fariam nem 1/10 do que foi feito. Percebo que aqueles que mais criticam na internet são aqueles que nada fazem fora dela.

Olhar para os defeitos e dificuldades dos outros é muito fácil. Agora, olhar para os próprios defeitos, reconhecer a impotência diante de Deus, e clamar todos os dias por misericórdia para que de alguma forma sua vida possa fazer a diferença para os outros, mesmo sendo um vaso quebrado, isso sim, pode ser grandioso e uma ferramenta poderosa nas mãos do Senhor.

No Reino de Deus não há espaço para críticos, apenas para os fracos!!!

Pastor Ismael Silva

Você realmente é salvo?

As religiões buscam demonstrar que o homem é pecador através de questões morais e legais, mas a bíblia demonstra que todos se tornaram pecadores por causa de uma única ofensa"E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo” ( Jo 16:8 ).

Como compreender a advertência contida no seguinte verso:

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” – Mateus 7:21

Quando Jesus disse: ‘Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor!’, estava falando a uma multidão demonstrando que, não basta chamá-lo de Senhor, antes, é necessário fazer a vontade de Deus para poderem entrar no céu.

A garantia de salvação está em fazer a vontade do Pai celestial. Jesus não demonstrou somente o que não garante salvação e deixou por conta do homem decidir por si mesmo qual é a vontade de Deus. Não! Jesus veio ao mundo fazer a vontade do Pai e declarar ao homem qual é a vontade de Deus a ser realizada pelo
homem para alcançar a salvação.

Uma coisa é certa: só entrará nos céus quem nascer de novo! Só entrará nos céus quem tiver obra superior à dos escribas e fariseus! Só entrará nos céus quem faz a vontade Deus! Ora, a vontade de Deus é especifica: que creiam em Cristo.

A evidência da salvação está em que Deus ressuscitou o Seu Filho dentre os mortos, e que todo o que obedece a Deus crendo em Cristo é salvo, pois o seu mandamento é crer em Cristo.

O homem é salvo pelo evangelho, que é poder de Deus para salvação de todo que crê.

Depois de ter feito a vontade de Deus, que é crer em Cristo, basta a perseverança até o fim para alcançar a promessa: a vida eterna!

Você está no caminho que pensa estar?

“E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me.” – Marcos 8:34.

O Evangelho de Jesus nos chama a negarmos a nós mesmos (tomar a decisão de mortificar o ego), tomar a cruz diariamente (para tornar prática essa decisão) e, então, segui-Lo. Hoje, muitos dos que dizem seguir a Cristo, na verdade querem trazer suas cruzes para que Jesus dê um jeito nelas. Não estão dispostos a perder, a sofrer, a negar-se a si mesmos. Querem deixar a cruz para que Cristo a carregue e, assim, seguir por um caminho sem dificuldades, sem provas, sem cruz. E, quando percebem que não é assim que vai acontecer, caem facilmente no desânimo, desespero e se decepcionam com o Senhor. Olham para o caminho largo que conduz ao inferno e ficam desejando estar num caminho assim: sem renúncias, sem humilhação, sem perdas voluntárias, sem espinhos, sem cruz. Mas, os que de fato entenderam o Evangelho primeiramente pregado pelo próprio Jesus, permanecerão no caminho apertado, espinhoso e carregarão suas cruzes até o fim. Estes sabem que só há esperança para que a vida ressurreta de Jesus se manifeste neles através da morte do Eu. Então, embora lágrimas, noites sem sono, incertezas, temores possam vir (e virão), estes que andam no caminho que leva à vida eterna saberão que é SÓ e apenas SÓ trilhando por ele é que conhecerão ao seu Salvador intimamente. Por que?

Simples. Porque Ele vai conosco!! Algumas vezes nos levanta quando caímos, quando tropeçamos nas pedras do caminho. Outras vezes, cuida das feridas que os espinhos vão provocar; outras, vai nos ajudar a carregar a cruz, como Simão de Cirene um dia fez com Ele.…

“E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” – Mateus 28:20

“E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.” – Lucas 9:62

“Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.” Mateus 24:13

Pastor Ismael Silva

Viver é uma aventura

Viver é uma aventura, uma aventura perigosa. As circunstâncias adversas, muitas vezes, conspiram contra nós; situações inesperadas nos deixam abalados; ventos contrários, surram com desmesurado rigor o barco da nossa vida. Somos surpreendidos por tempestades que atingem a nossa saúde, o nosso bolso, o nosso lar, a nossa paz. O cenário parece sombrio, não enxergamos uma luz no fim do túnel, não divisamos solução à vista. O que fazer nessas horas? Para onde correr? Onde devemos buscar socorro?

Neste mundo sempre vamos ter aflições. Aqueles que andaram com Deus neste mundo não pisaram tapetes aveludados, mas cruzaram desertos inóspitos, entraram em cavernas escuras, atravessaram mares encapelados, desceram aos vales sombrios, foram jogados nas fornalhas ardentes, trancados nas prisões, empurrados para as arenas, lançados nas fogueiras. O próprio Filho de Deus, imaculado, impoluto e sem jaça, quando pisou nesta terra bebeu o cálice do sofrimento: foi perseguido, insultado, abandonado, negado, traído, esbofeteado, cuspido, pregado numa cruz.

Mesmo quando sofremos, Deus está no controle das circunstâncias, para consolar-nos, levantar-nos, fortalecer-nos e usar-nos como fontes de consolação. O nosso sofrimento é pedagógico: ele nos ensina a perseverar, ele nos proporciona experiência com Deus, ele abre dentro do nosso peito uma fonte de esperança no Deus vivo. O nosso sofrimento é leve e momentâneo se comparado com as glórias que nos estão reservadas no céu; ele produzirá para nós eterno peso de glória acima de toda comparação. Por isso, se você está sofrendo, não fique deprimido nem desanimado, mas levante a cabeça e saiba que Deus está no controle. Na jornada da vida, por mais estreito que seja o caminho, ele o segura pela sua mão, o guia com o seu conselho eterno e depois o receberá na glória!

Pastor Ismael Silva

Sou mesmo um cristão?

​O apóstolo João escreveu o evangelho para mostrar como uma pessoa pode ser salva:

“Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” – João 20:31

“Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus” – I João 5:13

Um grande erro a ser evitado, buscar outro meio de salvação, fora de Jesus. Um cristão é alguém que nasceu de novo e recebeu um novo coração, uma nova mente, uma nova vida, uma nova família, uma nova pátria. Tudo se fez novo em sua vida e as coisas antigas ficaram para trás. Logo, o apóstolo João afirma:

“Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade” – I João 1:6

Nessa mesma linha de pensamento ainda escreve o apóstolo:

“Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade” – I João 2:4

A evidência da salvação é uma vida transformada.

No primeiro século, muitos falsos mestres se infiltraram na igreja, pregando um falso evangelho, produzindo falsos cristão e gerando uma falsa esperança. Não há salvação fora de Cristo. Por isso, o apóstolo João alerta:

“Quem é mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai” – I João 2:22,23

Muitos hoje professam crer em Cristo, mas não confiam nele plenamente para sua salvação. Professam Cristo, mas também confiam em suas obras. Professam Cristo, mas também recorrem a tantos intercessores. Professam Cristo, mas também depositam sua confiança na igreja e em seus rituais sagrados. A salvação está em Cristo e nele somente. A vida eterna é oferecida por ele, e por ele somente. Jesus é a porta do céu e o caminho para Deus. Ele é o único Mediador entre Deus e os homens. Só em seu nome há salvação.

Pastor Ismael Silva

O deserto pessoal

Muitos homens da Bíblia tiveram que ir ao deserto: Moisés ficou lá quarenta anos. Paulo também sentiu o seu calor e a sua solidão e foi lá onde pôde reconstruir sua teologia. Malcom X, o famoso nacionalista negro dos anos setenta, encontrou em uma cela de penitenciária o lugar que o fez um dos fenômenos intelectuais de sua geração, através do que leu e escreveu nesse deserto pessoal.

Nós nos redescobrimos no deserto. A existência passa a ser percebida com um verdadeiro sentido de ser. É nessa situação que podemos estabelecer um propósito para vida. No deserto, Cristo teve avivada a consciência de ser Ele o Filho de Deus. Isso implicava em assumir o motivo de Sua encarnação, o Seu único propósito: a salvação de milhões de seres humanos – a cruz.

Quando estamos no deserto, Deus nos revela que as tentações são um exercício necessário para a maturidade emocional e espiritual. É falsa a ideia popular de que "a esperança é a última que morre. Para quem entende o significado espiritual dos desertos a que estamos sujeitos a esperança jamais se extingue. Por isso mesmo tal pessoa jamais estará totalmente livre dos desertos. Eles fazem parte do processo de conquista da esperança:

“a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” – Romanos 5:3-5

No deserto nos firmamos no chamado de Deus. Quando estamos no deserto a força das circunstâncias, condições e o estabelecimento de prioridades significativas para nossa vida espiritual nos leva a renovarmos nossa vida. Assim, o deserto que a princípio seria um lugar de exaustão e queda passa a ser um ambiente onde o verdadeiro sentido da vida é valorizado. Dessa forma, reconhecemos nossa identidade como filhos de Deus.

Pastor Ismael Silva

O cristianismo e a caridade

Há alguns que reduzem o Cristianismo à prática da caridade; outros que tapam os ouvidos ao clamor dos aflitos. Há aqueles que reduzem o evangelho ao social; outros nada veem no evangelho sobre o socorro aos necessitados. Esses dois extremos não têm amparo nas Escrituras as obras são a evidência da nossa salvação.

Não somos salvos pelas obras, mas para as boas obras. As boas obras não são a causa, mas o resultado da nossa salvação. A justificação é pela fé somente, mas a fé salvadora nunca vem só. A fé sem obras é morta. São as obras que autenticam a nossa fé, pois somos feitura de Deus, criados em Cristo Jesus, para as boas obras. Tiago escreve:

“A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas na suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo” – Tiago 1:27

Mas a prática do amor é a evidência de que somos discípulos de Cristo .

Provamos que somos discípulos de Cristo não apenas pela doutrina que professamos, mas, sobretudo, pelo amor que praticamos. Devemos amar como Cristo nos amou, ou seja, com amor sacrificial. Como? O apóstolo João responde:

“Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” – I João 3:16

Como podemos demonstrar esse amor? Socorrendo os aflitos, alimentando os famintos, visitando os enfermos e dando abrigo aos forasteiros! Somos conhecidos como discípulos de Cristo pelo amor.

O amor é a apologética final, a evidência irrefutável de que amamos como Cristo nos amou. Nossas ofertas de amor ao próximo sobem à presença de Deus e são recebidas por ele como aroma suave. Isso redunda em gratidão no coração dos homens e em ações de graças a Deus.

Pastor Ismael Silva

Das cinzas para a vida

Na parábola do filho prodigo um pai tem dois filhos. A rebelião do filho mais novo ao exigir a sua herança e desperdiçá-la. Ao passar fome, ele se vê forçado a comer a comida dos porcos que alimenta. Ele cai em si. Toma a decisão de voltar arrependido. O pai o recebe de braços e coração abertos. O pai prepara uma festa de celebração pela volta do filho e comemora a ocasião.

Deus nos dá a liberdade para tomarmos decisões insensatas. Sem o menor juízo, o rapaz pede a sua parte da herança porque queria realizar seus sonhos pessoais.

Por algum tempo, Deus permite que nós desfrutemos os prazeres de uma vida desregrada. O rapaz foi para longe de casa para seguir suas paixões. Por que o pecado é agradável? Essa parábola nos adverte que quando deixamos Deus de fora das nossas decisões mais importantes e dos nossos planos pessoais, tudo pode se transformar em cinzas.

Quando nós deixamos Deus de fora dos nossos planos pessoais, somos conduzidos a situações desfavoráveis e que conflitam com o nosso caráter cristão. Um sentimento de tristeza cresce dentro de nós, ao percebermos que tudo de bom que recebemos do “Pai” está sendo perdido e mais, nos alimentamos com uma dieta estranha a um filho de Deus.

Só há uma saída, voltar aos braços do “Pai”. Nós servimos a um Deus que é Pai e Ele está sempre pronto para receber com alegria e perdão, aqueles que precisam de restauração.

Porque Deus é assim, nós podemos ter Nele esperança, mesmo quando partes de nossas vidas viraram cinzas! Porém, Deus é Justo e Ele não promete retirar as consequências de nossas más escolhas.

Para aquele que está reduzido a cinzas, cujos danos internos são visíveis e devastadores, por meio de Jesus, Deus promete restaurá-lo internamente, a fim de que ele saia de seu estado de morte. Jesus afirmou: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá.

Pastor Ismael Silva

Conselhos para se ter sucesso na vida

A vida é feita de escolhas. A todo momento estamos tomando decisões. Algumas delas positivas, outras negativas. Algumas nos impulsionarão, outras nos puxarão para trás. Há escolhas acertadas e escolhas insensatas. Há lutas que merecem nosso empenho; outras que drenam nossas forças. Há batalhas dignas de serem travadas; outras que tiram o nosso foco. Destacaremos aqui, alguns pontos:

Em primeiro lugar, não olhe pelas lentes do retrovisor; olhe para frente.

O apóstolo Paulo diz que precisamos esquecer as coisas que para trás ficaram, para podermos avançar para aquelas que diante de nós estão. Se ficarmos sempre olhando pelas lentes do retrovisor, presos ao passado, não sairemos do lugar.

Em segundo lugar,não discuta com os críticos, vença os seus gigantes.

Ele se dispôs a enfrentar o gigante. Seu irmão mais velho, irritou-se com Davi. Humilhou-o diante
dos soldados de Saul. Davi não gastou seu tempo nem suas energias com o irmão crítico. Se você escutar seus críticos, você perderá a alegria, a paz, o sono, o apetite, o foco, em resumo derrubou o gigante e foi o melhor Rei de Israel.

Em terceiro lugar,não discuta com os inimigos da obra, trabalhe com maior entusiasmo.

Quando Neemias chegou em Jerusalém, a cidade já estava há mais de cento e vinte anos debaixo de escombros. O desânimo do povo era imenso. Os inimigos se levantaram para paralisar a obra. Neemias, suportou todos os ataques e críticas com firmeza. Tentaram tira-lo do foco com reuniões mas ele disse, “Eu estou fazendo uma grande obra e não posso descer”. Neemias não se rendeu a conversas que não levasse a nada. Ele sabia que a distração podia ser fatal.

Em tudo o que você for fazer lembre-se não perca o foco não se distraia a vida e feita de escolha e decisões.

Pastor Ismael Silva